30/09/2017

Sucesso à vista


Da parceria entre o portal REDE NEWS 360 e a Rádio Rural Mossoró AM 990khz, estreia no próximo sábado, dia 07 de Outubro, às 11hs, o “Programa RN 360”, na apresentação do contemporâneo Erinaldo Silva e do experiente Gilberto de Sousa, jornalistas bastante conhecidos na região.

O programa, que será veiculado aos sábados, das 11hs ao meio dia, promete propiciar um ambiente democrático para debates sobre os mais diversos assuntos do cotidiano do Rio Grande do Norte e do Brasil, especialmente sobre os acontecimentos políticos.

Vamos conferir.

Sucesso aos colegas!

27/09/2017

Flanelinhas privatizam ruas e cobram por estacionamento em Mossoró


Não é fácil achar uma vaga para estacionar no Centro de Mossoró. E quando o motorista encontra, ainda surge outra dificuldade: os flanelinhas. Os motoristas que transitam pelo centro de Mossoró e precisam estacionar seus veículos, sentem-se constrangidos com os flanelinhas. Esses cobram valores, vendem lavagem de carro e praticamente obrigam motoristas a consumir o serviço. 

A ação de flanelinhas geralmente envolve crimes como exercício ilegal da profissão, extorsão e ameaça. No entanto, muitos parecem não se intimidar ao exercer a atividade irregular. Na praça Vigário Antônio Joaquim (praça da catedral, como é mais conhecida), no Centro, a situação é evidente. Há guardadores clandestinos que abordam e, segundo relatos, chegam a ameaçar motoristas e danificar os veículos.

Os flanelinhas já atuam há algum tempo, porém motoristas estão assustados com o aumento da atuação de flanelinhas em algumas ruas da cidade. Em determinados pontos, eles chegam a exigir pagamento mediante ameaça, o que é considerado crime. Uma lei federal de 1975 estabelece que guardadores e lavadores autônomos precisam de um registro na Delegacia Regional do Trabalho. Porém, muitos flanelinhas da cidade tentam ganhar dinheiro mesmo na informalidade. Esse tipo de abordagem pode ser considerada extorsão.

Além da coação aos motoristas, os flanelinhas ainda usam águas das fontes e praças, depredam patrimônio público e desperdiçam água, esse bem precioso. Basta só da uma passada na citada praça da catedral para constatar tais relatos, onde um cano jorra água sem parar.

Acredito que tal situação acontece pela inercia do Poder Executivo que atualmente não dispõe de mecanismos para fazer com que os flanelinhas se afastem das ruas ou não exerçam essas atividades. Caberia uma atuação da Guarda Civil Municipal para coibir essas ameaças que os motoristas frequentemente vem sofrendo. 

Vamos aguardar um posicionamento do Executivo municipal e esperar que este venha resolver a situação.

24/09/2017

A polêmica Liminar da "cura gay"

Desde o ano de 1999 o Conselho Federal de Psicologia proíbe terapias de reversão sexual no Brasil. Profissionais que desobedecerem a regra podem ter seu registro cassado. Foi o que aconteceu com Rozangela Alves Justino, psicóloga que teve seu registro profissional cassado em 2009 por oferecer “terapias para curar a homossexualidade masculina e feminina”. 


Esta semana, o juiz da 14ª Vara do Distrito Federal Waldemar Cláudio de Carvalho concedeu decisão liminar que abriu uma interpretação diferente para a norma do Conselho Federal de Psicologia (CFP). 

A justificativa, segundo o juiz, seria a de não impedir os profissionais "de promoverem estudos ou atendimentos profissionais, de forma reservada, pertinente à (re) orientação sexual, garantindo-lhes, assim, a plena liberdade científica acerca da matéria, sem qualquer censura ou necessidade de licença prévia". 

A aprovação dessa liminar autorizando psicólogos brasileiros a oferecerem a seus pacientes formas de terapia de reversão sexual provocou fortes reações de diferentes segmentos da sociedade durante esta semana no Brasil. 

De fato, na decisão não se fala em "cura gay" (com essas palavras) e, inclusive, o juiz decide considerando que a homossexualidade não é uma doença. Assim sendo, houve um sensacionalismo exacerbado por parte da mídia ao divulgar o teor da liminar. 

Porém, a decisão não deixa de ser absurda ao retroceder 18 anos e permitir que psicólogos pesquisem e desenvolvam práticas de (re) orientação sexual, o que é extremamente prejudicial para homossexuais que não aceitam sua condição devido aos valores heteronormativos impostos todos os dias, o que altamente é não recomendado pelas organizações internacionais de saúde. 

Ao deferir uma liminar dessas, o juiz quis, sim, incentivar a "cura gay", mesmo que não tenha utilizado a palavra "doença", como é divulgado, uma vez que, se a intenção fosse apenas de orientar, não faria sentido algum judicializar, pois os psicólogos já realizam essa orientação.


Foto: Reprodução

23/09/2017

Divisão política enfraquece luta contra falta d'água em Felipe Guerra

Até para o mais ingênuo analista político - aquele que avalia a conjuntura sobre o efeito das emoções - existe um pouco de consciência de que o cenário político em Felipe Guerra não deveria, mas ainda é e será por muitos anos (até surgirem novas caras com um novo jeito de fazer política) polarizado entre duas forças que se confrontam através de seus grupos tradicionais e de fácil manipulação.

Como consequência disto temos uma Situação “lagartixa”, que só balança a cabeça dizendo sim e uma Oposição do quanto pior melhor. 

Este blog não vem criticar posicionamento político de quem quer que seja, afinal cada um se posiciona de acordo com as próprias convicções. Porém, isso abre um abismo perigoso, onde quem sai prejudicada é a própria população, que muitas vezes não tem suas demandas atendidas em tempo hábil e, geralmente as soluções para os problemas só chegam tardiamente. 

A exemplo disso temos a reiterada falta d’água na cidade, que há muito tempo vem maltratando os filipenses e apenas medidas paliativas são adotadas. 

A população ensaia uma movimentação afim de cobrar uma solução definitiva, porém não logra êxito uma vez que, quando um lado movimenta-se, o outro cruza os braços e dão por encerrado o assunto. 

Depois de algumas provocações, a Companhia [CAERN] envia uma equipe técnica para realização de manutenção do poço, que já está praticamente seco. Após esse serviço o fornecimento de água é "normalizado" em alguns locais por alguns dias. Ou seja, o problema é apenas protelado. 

Acredito que a união das bandeiras deve acontecer, não só neste momento, mas sempre que a finalidade for o bem comum. Que a politicagem fique de lado e todos se unam com a finalidade de cobrar uma solução para essa falta d’água, que só terá fim quando for perfurado e instalado um novo poço.

A população unida jamais será vencida. Que as cobranças possam ir além das redes sociais e chegue com força às ruas através de manifestações passísticas.

Os poderes Executivo e Legislativo, bem como a Caern, precisam ser pressionados de forma contundente, para que dessa vez não tenhamos apenas a manutenção do poço.

As cobranças precisam partir da população como um todo, bem como a mobilização em busca de solução precisa envolver ambos os grupos e poderes [Situação/Oposição, Executivo/Legislativo], afinal prejudicados estamos todos.

Um por todos e todos por!

Juntos Somos mais fortes!

19/09/2017

Nos bastidores da comemoração aos 54 anos de Felipe Guerra

Um grande desfile cívico marcou o encerramento dos festejos alusivos aos 54 anos da cidade de Felipe Guerra. Uma extensa programação foi executada com brio, por uma equipe competente, onde cada Secretaria somou esforços no que lhe coube, de forma fundamental para êxito.  

Quero aqui fazer um destaque especial e muito merecido, para Dona Fátima Maia, como é conhecida, que vem desempenhando um excelente trabalho na condução da Secretaria de Assistência Social.

Colocando sempre Deus à frente de tudo, ela faz reuniões e orações com seus liderados, cai em campo, sempre logrando êxito, com sua equipe aguerrida, afinal uma andorinha só não faz verão.

Há algum tempo venho acompanhando in loco trabalho desta Secretaria. Durante as comemorações, pude ver o quanto é palpável a eficiência da equipe da Assistência Social.

Vi pessoas trabalhando até próximo da meia noite e, no dia seguinte, por volta das 5hs, já estavam de pé novamente para continuarem a missão. Se isso não for amor pelo que faz, eu não sei o que seria uma demonstração de amor neste sentido. 

Quando erram, as pancadas vêm e não se atrasam. Já quando acertam, "estavam apenas cumprindo obrigações". O reconhecimento passa longe. Quando vem é de poucas pessoas que têm sensibilidade e percepção.

Parabéns Dona Fátima Maia!

Parabéns a todas e a todos que fazem a Secretaria Municipal de Assistência Social de Felipe Guerra!

Continuem com essa garra. É de pessoas como vocês que a comunidade precisa.

Crédito da imagem:
Santana Notícia

15/09/2017

Parabéns Felipe Guerra

No próximo dia 18 de Setembro a cidade de Felipe Guerra/RN completa 54 anos de emancipação politica. A programação festiva teve início no dia 13 e conta com várias atrações como: jogos escolares, shows com bandas de rock, forró, dentre outras. 

Hoje acordamos com a queima de fogos e o som da banda filarmônica do município tocando pelas ruas. Um chamamento para os munícipes comparecerem à praça pública, onde foi oferecido um café da manhã e hasteadas às bandeiras. A programação segue. 

O aniversário de Felipe Guerra é também o aniversário de cada um de nós. É o dia das pessoas de bem, honradas e guerreiras. Parabéns a todos!

O aniversário de uma cidade é muito mais que um marco em sua história e na vida de cada cidadão (ã): é uma página que viramos para conquistarmos novos sonhos, novas realizações e seguirmos a caminhada rumo ao desenvolvimento. 

Aniversários são anos que refletem a permanência de algo que dura. Por isso, com orgulho devemos comemorar o aniversário do nosso Município.

Felipe Guerra, que vem me recebendo de braços abertos, cidade de povo acolhedor, ordeiro e trabalhador, que luta com expectativa de atingir grandes vitórias. 

Compete a nós, quanto cidadãos, continuarmos lutando para alcançarmos a transformação do nosso Município e os objetivos do nosso povo.

Desejo que cada munícipe seja um ponto de apoio nesta construção diária, com valores sólidos que ajudem a preparar as crianças e os jovens para esse processo contínuo de transformação, buscando no presente o futuro. 

Desejo que as conquistas da comunidade felipense sejam constantes, demonstrando que somos nós que fazemos o amanhã.

Que nossa perseverança seja a luz que ilumina a busca por uma nova cara e um novo jeito para trilhar o caminho rumo a uma Felipe Guerra cada vez melhor.

Parabéns Felipe Guerra! 

12/09/2017

Lojistas desrespeitam pedestres em Mossoró

No Centro de Mossoró/RN, calçadas tem sido transformadas em extensões de várias lojas, que as utilizam para expor seus produtos em detrimento do direito de ir e vir dos pedestres, que por sua vez têm que disputar lugar com as mercadorias e constantemente são obrigados a andar pelas ruas correndo risco de serem atropelados.

Para dificultar ainda mais a situação, camelôs e ambulantes também ocupam as calçadas e disputam a atenção dos pedestres para oferecerem seus produtos.  

O caso mais gritante é o de uma loja situada na Rua Tiradentes, onde a calçada foi totalmente “privatizada” (veja foto acima). 

Extremos como esse acontecem por conta da inércia do Poder Executivo Municipal, que não fiscaliza e, em virtude disso, são desobedecidas as disposições da lei 10.098/00, do Decreto n° 5296/04 e da Norma n° 9050/04 da Associação Brasileiras de Normas Técnicas (ABTN/NBR), que versam sobre acessibilidade para pessoas com deficiência.

Sendo assim, os pedestres e, especialmente, os deficientes da cidade de Mossoró, não têm assegurado em sua plenitude o direito de ir e vir.

Por algumas vezes a Prefeitura ensaiou resolver a situação, mas entra gestor e sai gestor e ninguém arregaça as mangas para por fim ao problema.

Além de cobrarmos, só nos resta torcermos para que um dos outros dois podres (Judiciário e Legislativo) levantem essa bandeira e busquem uma solução definitiva.

10/09/2017

Travestis, transexuais e transgêneros no Brasil

Durante muito tempo os LGBTs viveram à margem da sociedade e agora eles parecem eclodir de todos os lados: nas ruas, nas redes sociais, nas escolas, na TV, no trabalho, enfim estão por toda parte.

Desta forma o Brasil vem deixando de ser uma país 100% heterossexual, abrigando diferentes coletivos, figurando entre eles os travestis, transexuais e transgêneros. 

O respeito à individualidade nem sempre é natural e espontâneo. Por isso, muitas vezes se faz necessário a judicialização e isso vem apresentando decisões favoráveis para esses grupos, como por exemplo a união estável entre pessoas do mesmo sexo - aprovada no STF - e a aplicação da Lei Maria da Penha em favor das mulheres transexuais vítimas de violência doméstica e familiar - conforme determinou o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). 

No segundo exemplo o entendimento visa proteger todas as pessoas cuja identidade de gênero seja feminina, garantindo seus direitos fundamentais.

Contudo, a violência contra essas pessoas vem aumentando cada vez mais.  Mesmo com todos os avanços e conquistas o Brasil ainda é considerado o país que mais mata transexuais no mundo. Os últimos dados da Secretaria de Direitos Humanos revelaram um aumento de 183% dos casos de violência do tipo no período de um ano.

Segundo a ONG TGEU (Transgender Europe), a comunidade transexual é a que mais sofre violência no país e tem uma expectativa de vida de apenas 35 anos. 

Entre as mulheres trans, o preconceito é um fator que dificulta suas inserções na sociedade. Podemos constatar isso pelas oportunidades de trabalho que lhes são oferecidas: de acordo com os dados da Antra (Associação Nacional de Travestis e Transexuais do Brasil), 90% das mulheres trans acabam se prostituindo. Um dos fatores que as levam a optar por essa forma de trabalho é justamente a falta de oportunidade no mercado, que não reconhece suas identidades.

É importante saber o que significa cada um, já que o conhecimento é fundamental na hora de entender e respeitar a diversidade:

Travesti

Possivelmente é o mais reconhecido pela maioria das pessoas. Isso não quer dizer que a ideia associada a ele seja totalmente correta. Para muitos, trata-se de um homem que se veste de mulher, seja para atuar com performances ou porque simplesmente gosta de ser assim. 

Na verdade, travesti pode ser homem ou mulher, sendo que o ponto de partida é uma não-identificação com o seu sexo biológico.

A complexidade estaria no fato de não se sentirem 100% pertencentes a nenhum dos sexos. Por isso, o (a) travesti manteria características de homens e mulheres, alguns indo mais além e se proclamando como um terceiro gênero.

Transgênero

Assim como os travestis, o transgêneros não se identificam com o seu gênero biológico. É como se a pessoa tivesse nascido no corpo errado. Na sociedade, há certos tipos de comportamento que estão associados ao universo feminino ou masculino. O transgênero tem um sexo, mas se identifica com o sexo oposto e espera ser reconhecido e aceito como tal.

Ao contrário do que alguns podem pensar, antes de ser uma questão de orientação sexual, é uma questão de pertencimento cultural e social. Ser transgênero não implica um desejo de mudar de sexo biológico, nem a existência de atração por pessoas do mesmo sexo. O que há é um conflito de identidade de gênero.

Transexual

A forma mais fácil de explicar a transexualidade é apontá-la como uma "radicalização" do transgenerismo. O sentimento de não pertencer ao gênero biológico é tão intenso que há um repúdio por tudo aquilo que é característica do seu sexo de nascimento.

Por isso, o transexual é aquele que deseja alterar sua constituição biológica e fazer a mudança de sexo, sendo a cirurgia a única forma de se sentirem totalmente identificados e correspondidos na identidade de gênero que sentem pertencer, mas que não foi biologicamente atribuída.

Então devemos contemplar a dignidade da pessoas humana, respeitar e procurar proteger essas pessoas que estão em situação de violência, seja física, sexual, psicológica, moral ou patrimonial. 

07/09/2017

Há realmente motivos para comemorarmos a independência?

Comemora-se hoje, 07 de Setembro, o Dia da Independência do Brasil, quando, em 1822, o príncipe Dom Pedro voltava de uma de suas farras e, às margens do Riacho do Ipiranga, empunhou sua espada e proferiu o grito da independência, "cortando o laço" do Brasil com Portugal. Desde então, a data é festejada com feriado nacional e desfiles cívicos pelas cidades, celebrando o orgulho patriota. 

Será que temos tanto a comemorar nesta data? Quão independentes realmente somos?

Durante muito tempo, Portugal explorou nossa gente e nossas riquezas. Após o rompimento do laço com país europeu, os grandes proprietários de terras, que aqui ficaram, passaram a escravizar negros africanos e, com a industrialização, passaram a adquirir mão-de-obra barata, sujeitando os trabalhadores à péssimas condições de trabalho, situação que, infelizmente, ainda persiste em alguns recantos do Brasil.

Então, dizer que o Brasil é independente, depende muito do ponto de vista de cada um. Existem “N” motivos para dizermos que este País não é livre e afirmarmos que aqui o cidadão é dependente de uma nova camada dominante.

O Brasil como mero emergente que somos, é quintal do "Tio Sam", dependemos de uma grande massa de investidores estrangeiros, que apostam em uma economia outrora tida como, supostamente, solidificada, mantida através de altíssimas cargas tributarias, as quais tentam equilibrar as finanças de uns em detrimento de outros.

O Brasil é dependente de multinacionais em várias áreas, como a de pesquisa e processamento de medicamentos, devido à incapacidade gerada pela falta de investimentos do Governo, por este achar mais fácil e barato privatizar com abertura ao capital estrangeiro.

O Brasil é dependente da caridade de políticos, que fazem as leis em Brasília, ou até mesmo nas Bahamas, aproveitando suas férias com salários que crescem exponencialmente por meio de suas próprias aprovações, enquanto os verdadeiros trabalhadores que giram as engrenagens deste País, penam por um mísero aumento no salário-mínimo e são duramente massacrados por reformas do Governo.

Somos escravizados pela corrupção que mata todos os dias centenas de brasileiros com a falta de remédios, leitos em UTIs, cirurgias... E é essa corrupção quem mantém no poder os maiores descumpridores das leis. A cada dia nos deparamos com coisas mais absurdas, que vão de dinheiro na cueca até malas com 51 milhões de reais, amontoadas em apartamento.

Presidente, ex-presidentes, deputados, senadores, governadores, prefeitos, vereadores, estatais, quase todos envolvidos. Enfim, um lamaçal só.

Para nós brasileiros, só nos resta sonharmos com o dia em que as investigações indicarem que os recursos oriundos dos nossos impostos, foram aplicados de forma correta. 

Então, hoje não temos muito o que comemorarmos. Embora muita coisa tenha mudado nos últimos 195 anos, em termos sociais, econômicos, políticos e culturais, o Brasil continua dando passos que criam novas dependências, e assim, vamos vivendo à mercê delas.

05/09/2017

Afinal, vivemos em uma democracia?

Muito se brada que desde o fim da Ditadura Militar (1964-1985) vivemos em uma Democracia. Será que vivemos mesmo? Neste artigo trago alguns pontos que põem em dúvida essa afirmação. 

Que democracia é essa onde somos “obrigados” a votar? Quem não vota nem justifica sofre sanções, perde alguns direitos, inclusive o de votar, uma vez que o título eleitoral é cancelado. 

Se fosse democracia, o voto não poderia ser “obrigatório”, mas sim, facultativo.

Que democracia é essa onde a participação popular no governo é mínima? Isso mesmo, mínima! Se analisarmos, as últimas participações populares de forma direta ocorreram em um passado distante, uma vez que nosso último Plebiscito ocorreu em 1993, onde a população foi às ruas escolher Monarquia ou República e Parlamentarismo ou Presidencialismo. 

Essa consulta consolidou o sistema de governo atual, mas há quem diga que essa votação foi uma palhaçada e os que defendem essa tese mostram vários fatos os quais indicam que não houve uma paridade e, com isso, a eleição teria sido "influenciada".

Para não me alongar muito cito que o tempo e o tipo de propaganda dos que, na época, defendiam a monarquia, foi bem menor do que o tempo dos defensores da República. 

Temos ainda o Referendo, utilizado pela última vez em 2005, onde os eleitores foram às urnas para responder a seguinte pergunta: "Você é a favor da proibição do comércio de armas e munição no Brasil?" - referente ao dispositivo do Estatuto do Desarmamento que proíbe o porte de armas por civis. 

A maioria dos brasileiros votou "não", o que significa que o comércio de armas de fogo e munição continua permitido no país. 

Bem, como mais de 63% dos votantes optaram pela continuidade da venda de armas no Brasil, isso deixa claro que a população quer armas de fogo e, no entanto, ao invés de respeitar a decisão, o governo trilha na contramão endurecendo e burocratizando cada vez mais o acesso as armas de fogo, ao ponto do cidadão atender a todos os requisitos previstos em lei e mesmo assim não conseguir adquirir sua arma. Muitas vezes os pedidos são negados por agentes federais que analisam os processos e que, por estarem com fome ou insatisfeitos sexualmente, decidem em desfavor do cidadão. Assim, ficamos a mercê do bel prazer de tais agentes. 

Então caros leitores, será que na última década não tivemos nada de relevante que devesse passar pelo crivo da população?

É cristalino o fato de que nossa democracia é ilusória diante de tamanha falta de participação popular no governo. Talvez alguém diga que participamos sim do governo, pois o poder emana do povo que o exerce através de seus representantes. 

Assim sendo, eu pergunto: Quais representantes, uma vez 10% dos nossos deputados são eleitos pelo voto direto e os outros 90% são eleitos pelo voto de legenda? 

E vai piorar, pois vem aí o 'distritão' que permitirá a eleição de uma parte dos deputados pelo próprio partido.

Mesmo que vivamos numa sociedade civil organizada, ainda falta muito para que se tenha, de fato, uma verdadeira Democracia. 

Temos que buscar a efetivação de uma Democracia cada vez mais direta em nosso país, com o povo participando, de forma efetiva, de audiências/consultas públicas, propondo leis de iniciativa popular, exercendo o controle popular da Administração Pública, decidindo o futuro da Nação por meio de plebiscitos, referendos e recall, pressionando os governos através de manifestações nas ruas e na internet.

Quem sabe um dia. Sou otimista, já foi pior, estamos melhorando!

03/09/2017

Caso Diego Ferreira: leis arcaicas levam à impunidade

Em tempos onde o estupro virtual é punido, uma decisão judicial em audiência de custódia colocou em liberdade Diego Ferreira de Novais, de 27 anos, um suposto estuprador. Conduta: em um ônibus no Rio ejaculou no pescoço de uma mulher, mas sem manter contato físico com ela. 

E o que é estupro?

Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso: Pena - reclusão, de 6 (seis) a 10 (dez) anos.

Bem, o juiz entendeu que não houve violência ou grave ameaça e por isso não enxergou tipicidade penal do artigo 213 e o enquadrou no Art. 61.

Art. 61. Importunar alguém, em lugar público ou acessível ao público, de modo ofensivo ao pudor: Pena – multa, de duzentos mil réis a dois contos de réis.

Por se tratar de crime de menor potencial ofensivo, foi liberado. Resultado: delinquiu novamente. Foi novamente detido. Dessa vez, teria mostrado o pênis para uma mulher e, quando esta tentou fugir, usando de violência a segurando pelas pernas. Neste caso foi possível enquadrar o fato como tentativa de estupro, pois, pela matéria, teria havido uso de violência contra a vítima, e a lei exige para caracterização deste delito violência física ou grave ameaça. Teve sua prisão preventiva decretada na audiência de custódia.

Mas, vou complicar.

E se ele tivesse apenas mostrado o pênis, sem segurar a vítima, sem ameaçar? Já não seria estupro e, provavelmente, seria solto novamente. Como assim? Exato. Seria crime que pela lei é de pequeno potencial ofensivo e, em regra, não enseja prisão preventiva, exceto se o sujeito tiver contra ele condenação por crime doloso com trânsito em julgado. Do contrário, nada feito.

Isto posto, claramente percebemos que:

Faltou por parte do juiz uma conduta mais ativista, uma vez que um tarado desse é um perigo à solta, para vítimas e para ele próprio, que pode facilmente virar defunto.

Acredito que desde a ejaculação deveria ter sido decretada a prisão preventiva, olhando para as 17 passagens que ele tem por crimes sexuais que claramente comprovam o perigo dele para com a sociedade, ou simplesmente não ignorando a violência psicológica sofrida pela vítima da ejaculação.

Com um legislativo que não consegue acompanhar a mutação da sociedade, esta clama por juízes mais ativistas, seja para suprir as lacunas da lei ou para punir aqueles que não entendem que o transporte é publico, mas o corpo da mulher não.

Não só as leis da seara penal, bem como muitas outras estão arcaicas e nossos representantes, que podem resolver isso, estão preocupados em se defender das acusações na Lava Jato. Desta forma, cabe a nós mudar isso deixando de eleger essa turma que está aí há anos "trabalhando por nós".

Sai o pai, a galera coloca o filho, cachorro, papagaio...e segue a vida...

02/09/2017

Apresentação


Olá! Sou Mikael Sales estudante de Direto da Universidade Potiguar (UnP), deveras fã do Direito, da política e fascinado pela filosofia.

A criação deste blog foi motivada por vários pedidos de amigos e amigas, pessoas conhecidas e até desconhecidas, que vêm em minhas redes sociais tirar dúvidas sobre questões jurídicas e algumas vezes apenas perguntar o que eu acho sobre determinado tema.

Vamos ao que interessa. 

Ao iniciar este espaço virtual tenho como ideia principal abrir uma janela de comunicação/interação sobre meus pensamentos, reflexões e abordagens, até porque muitos assuntos precisarão ser amadurecidos. 

Peço desculpas desde já por eventuais falhas ou erros que venham ser publicados aqui. Muitas vezes, os textos já publicados, serão revisados, tanto por questões gramaticais quanto para melhorar o seu conteúdo. 

Por isso, se possível, deixe seu comentário, com sugestões, correções,  dúvidas, e etc., para que eu possa sempre melhorar o conteúdo do blog.

Vou dá o meu pitaco sobre o que eu desejar sem pressão, sempre que para tal tenha tempo, seja sobre política, amigos, relações sociais, enfim, deixarei ir até onde os dias e as conjunturas vierem a ditar.

Não pretendo censurar ninguém, mas, como infelizmente nem todos sabem lidar com esse bem precioso que é a liberdade de expressão, abro espaço para comentários, mas não posso permitir que sob anonimato se possa ofender pessoas, sejam elas quem forem.

Deixo aqui um apelo a quem estiver interessado, para que me façam chegar questões que gostassem de ver abordadas. 

Enviem sugestões de qualquer tema que considerem interessante, e até proponham publicações de textos de autoria própria ou de terceiros, assegurando os devidos créditos. 

Estou ao vosso dispor em opitacobymiksales@gmail.com

Independentemente da motivação para essa sua visita, “SEJA BEM VINDO QUEM VIER POR BEM”

Curta nossa página

Leitores agora

Total de visitas

Mais lidas da semana