27/09/2017

Flanelinhas privatizam ruas e cobram por estacionamento em Mossoró


Não é fácil achar uma vaga para estacionar no Centro de Mossoró. E quando o motorista encontra, ainda surge outra dificuldade: os flanelinhas. Os motoristas que transitam pelo centro de Mossoró e precisam estacionar seus veículos, sentem-se constrangidos com os flanelinhas. Esses cobram valores, vendem lavagem de carro e praticamente obrigam motoristas a consumir o serviço. 

A ação de flanelinhas geralmente envolve crimes como exercício ilegal da profissão, extorsão e ameaça. No entanto, muitos parecem não se intimidar ao exercer a atividade irregular. Na praça Vigário Antônio Joaquim (praça da catedral, como é mais conhecida), no Centro, a situação é evidente. Há guardadores clandestinos que abordam e, segundo relatos, chegam a ameaçar motoristas e danificar os veículos.

Os flanelinhas já atuam há algum tempo, porém motoristas estão assustados com o aumento da atuação de flanelinhas em algumas ruas da cidade. Em determinados pontos, eles chegam a exigir pagamento mediante ameaça, o que é considerado crime. Uma lei federal de 1975 estabelece que guardadores e lavadores autônomos precisam de um registro na Delegacia Regional do Trabalho. Porém, muitos flanelinhas da cidade tentam ganhar dinheiro mesmo na informalidade. Esse tipo de abordagem pode ser considerada extorsão.

Além da coação aos motoristas, os flanelinhas ainda usam águas das fontes e praças, depredam patrimônio público e desperdiçam água, esse bem precioso. Basta só da uma passada na citada praça da catedral para constatar tais relatos, onde um cano jorra água sem parar.

Acredito que tal situação acontece pela inercia do Poder Executivo que atualmente não dispõe de mecanismos para fazer com que os flanelinhas se afastem das ruas ou não exerçam essas atividades. Caberia uma atuação da Guarda Civil Municipal para coibir essas ameaças que os motoristas frequentemente vem sofrendo. 

Vamos aguardar um posicionamento do Executivo municipal e esperar que este venha resolver a situação.

  Um comentário:

  1. Erinaldo Silva9/30/2017 1:54 PM

    Excelente abordagem. Esse problema tem se agravado muito em Mossoró e não vejo nenhuma medida sendo adotada pelo setor responsável pela mobilidade urbana do município.

    ResponderExcluir

Curta nossa página

Leitores agora

Total de visitas

Mais lidas da semana